quarta-feira, 14 de abril de 2010

O Olho Humano

INTRODUÇÃO

O olho humano ou o globo ocular é o órgão responsável pela visão no ser humano. Este órgão de pequenas dimensões dá origem a um sentido básico que permite a exploração das imagens e a sua percepção: a visão.
Os olhos estão constantemente a enviar para o cérebro informações que detecta do mundo exterior. A parte da visão em que se “vê” tem lugar quando as mensagens nervosas chegam ao cérebro que as transforma em imagens pormenorizadas coloridas e tridimensionais, ou seja, os olhos são os sensores e o cérebro o processador.
A constituição deste órgão, bem como o seu funcionamento, são os subtemas que irei abordar neste trabalho.

DESENVOLVIMENTO

1. Constituição do Olho
Para percebermos como toda a informação vinda do exterior chega ao cérebro, precisamos de conhecer o nosso olho, quer dizer, como ele é constituído para que a informação seja perceptível.


Córnea: refracta os raios de luz que entram nos olhos e exerce o papel de protecção à estrutura interna do olho.
Íris: é a porção visível e colorida do olho logo atrás da córnea. A sua função é regular a quantidade de luz que entra em nossos olhos.
Pupila: é a abertura no centro da íris que permite a entrada de luz para o olho. A pupila contrai-se – torna-se mais pequena - quando a luminosidade é menor (impedindo a entrada de luz excessiva) e dilata-se – torna-se maior – quando a luminosidade é em maior quantidade (deixando penetrar mais luz para o olho).
Cristalino: é uma lente biconvexa natural do olho e sua função é auxiliar na focalização da imagem sobre a retina.
Músculos Cilares: Ajustam a forma do cristalino. Com o envelhecimento eles perdem sua elasticidade, dificultando a focagem dos objectos próximos e provocando uma deficiência chamada de presbiopia, mais conhecida como vista cansada.
Fovea Centrallis: Porção de cada um dos olhos que permite perceber detalhes dos objectos observados. Localizada no centro da retina (o revestimento do fundo do olho), é muito bem irrigada de sangue. A fovea é parecida com uma cratera, cujo centro é preenchido com células cónicas. Estas são receptores que detectam os raios luminosos e as cores.
Nervo óptico: transporta os impulsos eléctricos do olho para o centro de processamento do cérebro, para a devida interpretação.
Ponto Cego: Local em que o nervo óptico, ligado ao cérebro, se junta com a retina. Os vasos sanguíneos que irrigam a retina também deixam o olho a partir dali. O ponto cego tem esse nome pelo fato de não haver células fotossensíveis nessa área da retina.

HUMORES:
Humor Aquoso:
Líquido que se encontra entre a córnea e o cristalino.
Humor Vítreo: Líquido que ocupa o espaço entre o cristalino e a retina

TÚNICAS / CAMADAS:
Esclerótica: Camada externa do globo ocular. É a parte branca do olho. Semi-rígida, ela dá ao globo ocular seu formato e protege as camadas internas mais delicadas.
Coróide: Camada média do globo ocular. Constituída por uma rede de vasos sanguíneos, ela supre a retina de oxigénio e outros nutrientes.
Retina: é a membrana fina que preenche a parede interna e posterior do olho, que recebe a luz focalizada pelo cristalino. A retina percebe a luz e produz estímulos que são transmitidos através do nervo óptico até o cérebro. Na retina existem células chamadas bastonetes – dão imagens a preto e branco e outras chamadas cones – permitem ver as cores.

2. Funcionamento do Olho
Quando olhamos na direcção de algum objecto, a imagem atravessa a córnea e chega à íris, que regula a quantidade de luz recebida por meio de uma abertura chamada pupila. Quanto maior a pupila, mais luz entra no olho. Passada a pupila, a imagem chega ao cristalino, e é focada sobre a retina. A lente do olho produz uma imagem invertida, e o chegam ao cérebro (que converte para a posição correcta) através do nervo óptico. Na retina, mais de cem milhões de células fotorreceptoras transformam as ondas luminosas em impulsos electroquímicos que são descodificados pelo cérebro.



CONCLUSÃO

Com a resolução deste conciso trabalho adquiri conhecimentos sobre a constituição e funcionamento do olho. Perceber o seu mecanismo e a influência que este órgão tem com a luz permite perceber como o ser humano e outros seres detectam a imagem vinda do exterior.



BIBLIOGRAFIA:
http://visaopsicologia.home.sapo.pt
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/olhos-humano
http: //www.retinaevitreo.com
Livro: “Guia do Corpo Humano” / Olhos

11 comentários:

  1. Hi !
    You commented on my blog awhile back and I just wanted to tell you thanks!! And I can't speak Spanish, but I can tell you are super smart!
    Emily

    ResponderEliminar
  2. Muito interessante e cientificamente correcto!

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  3. You commented on my blog awhile back and I just wanted to tell you thanks!! And I can't speak Spanish, but I can tell you are super smart!
    Emily
    29 de Abril de 2010 22:01
    Ciência e Saúde XXI disse...

    ResponderEliminar
  4. é...melhor que omeu :D

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  5. muito enteressante gostei muito e apredir como o nosso olho sempre será emportante para nos

    ResponderEliminar
  6. Este site ajudou-me a conseguir fazer um trabalho..
    Estão de parabéns!!!

    ResponderEliminar
  7. we are not spanish we are portuguese!!! :P

    ResponderEliminar
  8. muito foda em amei *___*

    ResponderEliminar
  9. gostei da simplisidade deste trabalho, e simples e ajuda a compreender bem sobre a materia
    sobre os olhos

    ResponderEliminar
  10. adorei ajudou-me mt a realizar o trabalho mt obrigada...
    kiss e felicidades!

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito desse trabalho!!! Parabens

    ResponderEliminar